Quando procurar ajuda Psicológica?

Entrevista

Quais os comportamentos apresentados pela criança que merece uma maior atenção e acompanhamento psicológico? Quais os principais motivos da procura pela terapia?

Percebo que os pais encontram-se muito perdidos. As famílias numerosas de antigamente ofereciam um apoio que favorecia o suporte parental porem isto não é uma realidade de todas as famílias na nossa sociedade. Outro ponto é que o acesso
proporcionado pelos meios de comunicação faz com que os pais muitas vezes tenham informações incorretas sobre algum problema ou dificuldade que possa estar tendo com o filho.

Na maioria das vezes o melhor indicativo de que algo não esta indo bem é quando a criança mostra isso de alguma forma, ou seja, quando percebem que passam apresentar comportamentos que não apresentavam antes como choro excessivo, insônia, queda de desempenho na escola, regressão de comportamento (como voltar a fazer xixi na cama ou pedir pela chupeta que já foi retirada).

Outros comportamentos podem indicar necessidade de atendimento, sendo eles queda no desempenho escolar, agressividade,
brigas, agitação, birra, medos excessivos, ansiedade, quietude, timidez, choro excessivo, pesadelos, sonambulismo, dificuldades alimentares, masturbação frequente, tiques, enurese, encoprese e reclamações freqüentes de dores de cabeça e estômago. Outro
foco de procura por atendimento psicológico é sobre quando os pais têm dúvidas sobre como proceder com as crianças que teimam em tomar conta da situação ou que apresentam transtornos de comportamento (agressividade exagerada, falta de limites ou
algum outro transtorno).

Quando é hora de começar o tratamento (tem idade)?

Sempre que os pais procuram por um tratamento é realizada uma avaliação, que é feita inicialmente com a família (pai, mãe ou casal) e, a partir desta avaliação inicial com a família procedemos a avaliação com a criança (se ela concorda com a queixa levantada pelos pais, como avalia este problema, dentre outros), mas tudo isso é realizado de maneira lúdica, pois esta via facilita o acesso ao universo infantil e assim, não agredimos a criança que muitas vezes encontra-se em sofrimento juntamente com a família.

Tendo sido realizada a avaliação com a família (e quando necessário com a escola), realizamos o processo de intervenção que irá estruturar-se a partir de cada caso ou de cada queixa apresentada. A intervenção geralmente é feita com a criança,mas a família
participa ativamente neste processo, seja através de sessões conjuntas ou de orientações realizadas com os pais.

Quais os recursos são utilizados na terapia para criança?

Sempre utilizamos diferentes tipos de recursos. Costumo fazer uma avaliação inicial para descobrir do que a criança gosta e à partir da área de interesse da criança costumo estruturar as sessões. Também depende da idade da criança. Geralmente utilizamos jogos, brinquedos diversos (de casinha,médico, construção), livros de histórias, fantoches, dentre outros.O recurso lúdico nos auxilia a entrar o universo da criança, a descobrir suas fantasias, entender seus pensamentos e sentimentos.

Os pais também precisam de orientações (às vezes até mais que os filhos)?

Com certeza a família é o ponto chave de todo o processo. Nas intervenções com famílias deve-se ter como metas e objetivos os processos interacionais que são aceitos como sendo relacionados à etiologia, manutenção, exacerbação ou falta de atenção no desenvolvimento de uma criança. O foco das intervenções está em alterar o comportamento dos pais com relação aos seus filhos, mas pode incluir também a mudança de outros aspectos do funcionamento da família, como relações conjugais, estresse, depressão, manejo de raiva, o comportamento dos avós, irmãos, pessoas que cuidam das crianças, além do provimento de atividades adequadas à idade. Assim, é importante destacar que a criança que precisa de ajuda geralmente necessitará do apoio do seu grupo familiar para mudar seu comportamento. Isso é lógico porque ela é simplesmente uma criança e não poderá fazer tudo sozinha, ou seja, para contornar um problema específico ou mudar o estilo geral da interação precisa da ajuda de seus pais ou de mediadores que interajam com ela.

Quanto tempo dura em média a terapia ou isso vai depender de cada caso?

Depende de cada caso e da disposição de cada família para o tratamento.

Quais os benefícios que a terapia traz?

O psicólogo pode ajudar, ensinando-o a compreender o que acontece com seu filho e a reagir com coerência, firmeza e afeto nas pequenas situações. Em se tratando de dificuldades escolares ele pode realizar uma avaliação a fim de identificar as prováveis causas, além de sugerir as estratégias interventivas necessárias.

Não existe “perigo” da criança que faz terapia se achar “diferente” das outras. Como isso deve ser explicado para ela?

Com certeza não. Trabalhamos com a criança a relação do problema que esta acontecendo e fazemos com que ela entenda que suas dificuldades podem ser modificadas. Assim, também fazemos com que compreenda que todos têm dificuldades, pontos altos e pontos fracos. Além do princípio da aceitação do outro à partir de nossas próprias dificuldades, ensinamos um grande princípio ético que se chama tolerância.

Desta forma, a terapia não estigmatiza como acontecia antigamente. Atualmente, o psicólogo é visto como profissional necessário para ajudar as pessoas que encontram-se em situações de vida difíceis ou que tem um problema que não conseguem resolver como um ponto de apoio e de ajuda.

IACEP – Instituto de Análise do Comportamento em Estudos e Psicoterapia

Equipe IACEP
Equipe IACEP
Cadastrado pela equipe de profissionais do Instituto de Análise do Comportamento em Estudos e Psicologia