“Positivados” e “Negativados” pelo trabalho

“Positivados” e “Negativados” pelo trabalho Por Psic. Renata Trovarelli & Estagiária Rafaela Vieira Quando fui convidada a escrever sobre o tema trabalho, fiquei pensando qual aspecto abordar sobre esse tema tão complexo. Pensei em falar sobre minha experiência como profissional e como minha vida é impactada por ela. No entanto, resolvi falar sobre aqueles que de alguma forma chegam até mim, “negativados” ou “positivados” pelo trabalho. Não parto de dados empíricos, meus dados são de observações, como profissional e como pessoa. Ouço com frequência, “hoje meu dia foi bom, as coisas no trabalho ocorreram bem”, “hoje meu dia foi péssimo, lá no meu trabalho…” e muitas outras variantes dessas falas. O trabalho ocupa um espaço tão grande na vida das pessoas, que é difícil encontrar um indivíduo que se considere feliz se o trabalho não estiver indo no mesmo sentido. Ser “positivado” ou “negativado” pelo trabalho não necessariamente tem a ver com o que tipo de trabalho que realiza. Já vi professores com impactos positivos na vida, oriundos do trabalho, e também já vi aqueles que o impacto é predominantemente negativo. Já conheci, e não foram poucos, que trabalhavam em ambientes insalubres, utilizando-se de força física, e que encontravam um sentido no trabalho. Como também conheci pessoas com trabalhos bem remunerados, em locais aconchegantes, e ainda sim o impacto não era positivo. O que eu encontro em comum em pessoas que se sentem felizes no trabalho, é a valorização/satisfação que elas sentem ao realizá-lo. Alguns encontram uma valorização intrínseca a atividade, “eu faço e o resultado me realiza”, e outros (talvez aqui se encaixe a maioria) encontram uma valorização externa, que geralmente é (ou deveria ser) praticada pelos níveis hierárquicos superiores, ou por aqueles que contrataram seus serviços. Eis a chave para um bom encontro entre trabalho e pessoa. Você pode ter a “sorte” de se realizar com o resultado do seu trabalho e poder viver desse trabalho, e você também pode ser valorizado, pela serviço praticado, mesmo que o resultado não faça sentido pra você. Os resultados que eu observo são muito parecidos, e podem ser chamados de sentimentos de bem estar e felicidade. Saber o que te motiva, saber o que é importante para você, pode ser a chave para encontrar um trabalho capaz de te potencializar positivamente. O encontro entre trabalho e pessoa vai muito além de uma remuneração. Bem estar, felicidade e sentido na vida podem com certeza fazer parte desse encontro.

Equipe IACEP
Equipe IACEP
Cadastrado pela equipe de profissionais do Instituto de Análise do Comportamento em Estudos e Psicologia