É importante ressaltar que a participação de responsáveis é essencial no processo terapêutico infantil. Assim, muitas vezes esses são requisitados a comparecerem a algumas sessões e a colocarem em prática no cotidiano diferentes estratégias orientadas pelo psicólogo. Alguns pais e cuidadores optam por não buscar ajuda por julgarem que a criança é muito nova ou que ainda não está preparada para a terapia. É importante que saibam que a infância é um momento muito propício para a realização desse tipo de tratamento, já que a criança aprende com muito mais facilidade do que os adultos e o processo de mudança envolve, assim, menos sofrimento. Além disso, vale destacar que a terapia infantil adota métodos lúdicos, apropriados à condição de cada criança.

Psicóloga Mariana Chagas