Férias, e Agora?

O final do ano está chegando e, com ele, as férias escolares também. Esse deveria ser um momento de descanso para as crianças mas, o excesso de atividades  e a escolha errada do que as crianças vão fazer nesse período acabam por transformar o que seria uma festa, em uma época pouco aproveitada.
O ideal é que as férias fossem utilizadas para que as crianças passassem mais tempo com os pais e com a família mas, em função das dificuldades cotidianas, poucas famílias conseguem se reunir e passar um tempo se ocupando com o lazer.
É importante lembrarmos que as férias são um ótimo período para que pais e filhos divirtam-se juntos, pois a participação dos pais nas atividades desse período é fundamental, mostrando para a criança que ela é amada e que estar junto dela significa alegria e prazer e não mais trabalho e preocupação. Uma sugestão é que pelo menos um dos pais tire férias no mesmo período dos filhos por uma semana ou mais.
Se não existe essa disponibilidade, pode-se recorrer a algumas alternativas como as colônias de férias, acampamentos ou excursões; porém todo cuidado deve ser tomado, porque essas atividades devem ser prazerosas primeiramente para as crianças, as quais são as primeiras interessadas. Portanto, discuta com elas sobre o assunto, buscando levantar quais alternativas seriam mais agradáveis. Com as crianças menores de cinco anos, atividades que requerem distância dos pais por um período maior que um dia não são aconselháveis.
Além do período de duração, outros detalhes devem ser observados para garantir a diversão da garotada: os pais devem estar atentos às atividades realizadas, o local onde o grupo vai ficar, se há uma separação entre crianças pequenas e grandes e o número de instrutores por crianças.
Cursos e atividades extras, como reforços, aulas particulares devem ser evitados no período das férias, uma vez que esse não é o objetivo das férias, que
deve ser um período de descanso para a criança.
Férias significam lazer e não é preciso ter muito dinheiro para garantir a diversão dos pequenos. O que eles querem na verdade não é ficar participando de atividades caras e desagradáveis. O que eles querem é mais simples e barato do que os pais imaginam: querem atenção e isso pode ser feito de maneira agradável e prazerosa. Ir ao clube, dar uma volta de bicicleta pelo parque, brincar de alguma coisa da sua infância como pular elástico, amarelinha ou soltar pipa podem ser boas opções.Um dia na casa dos avós ou tios pode ser divertido também.

O ideal é organizar o dia da criança sem sobrecarregá-la. As crianças precisam de rotina e muitas crianças ficam estressadas nas férias pela desordem e incerteza das atividades. Organize a semana e disponha-se a fazer coisas com elas, retirando-a da frente da TV e do vídeo- game.

Os pais que tem dois filhos podem dispor de momentos significativos com cada um em separado, considerando as diferenças de gostos e faixa etária e, mesmo que os filhos não queiram a companhia dos pais (fato comum na adolescência), é fundamental que eles saibam que os pais estão dispostos a passar um tempo com eles.
Melhor do que dar aos filhos o que fazer é interagir com eles e aproveitar as férias para o exercício e aprendizado da convivência significativa e prazerosa.

Kellen Martins Escaraboto
Psicóloga CRP 0809/270

 

Equipe IACEP
Equipe IACEP
Cadastrado pela equipe de profissionais do Instituto de Análise do Comportamento em Estudos e Psicologia