Orientação Profissional

Os adolescentes deparam-se com a necessidade de se apropriarem da escolha profissional, a qual é muito significativa, de grande importância social e isso se deve ao vasto investimento que as pessoas fazem no trabalho. Infelizmente, é comum encontrarmos adolescentes e, até mesmo profissionais inseridos no mercado de trabalho, insatisfeitos com o curso ou com a profissão e que precisam fazer ou refazer essa escolha.

Diante da insatisfação profissional muitos problemas podem se desenvolver, como os de saúde, fracasso profissional, perdas financeiras, entre outros. No âmbito da saúde, por exemplo, pesquisas tem sugerido que o autoconceito das pessoas está relacionado ao seu desempenho e satisfação no trabalho e, que em casos em que o autoconceito é negativo, outros prejuízos emocionais podem ocorrer como a depressão, ansiedade, baixa autoestima, entre outros. Ou seja, a insatisfação no trabalho não gera apenas problemas circunscritos a esse, mas abrange outros aspectos da vida do indivíduo.

Muitos caminhos nos levam a fazer escolhas equivocadas como opinião de pessoas que nos são especiais, por exemplo, pais, parentes, amigos; a admiração por alguém; profissões da moda; sonhos antigos ou até mesmo por “achar que se tem uma vocação”. Amyr Klink, famoso navegador e escritor, em um depoimento ilustra muito bem este fato, ele diz: “agradeço profundamente aos meus pais terem escolhido Economia. Quando terminei o curso e o estágio no banco não sabia o que queria fazer da vida, mas sabia exatamente o que não ia fazer: Ser Economista”.
Essas variáveis devem ser consideradas e são importantes, no entanto, destacamos, que o sucesso profissional está alicerçado na escolha mais acertada da profissão, a qual deve, por sua vez, fundamentar-se no desenvolvimento de algumas competências. O programa de orientação profissional tem como objetivo desenvolver tais comportamentos, quer sejam, o Autoconhecimento, auxiliando o indivíduo a conhecer as variáveis influentes na escolha, como pessoais, familiares, contextuais, culturais, entre outras; suas características pessoais; habilidades; valores; ansiedades ligadas ao processo de escolha; medos e expectativas relacionadas ao futuro.

O segundo momento do processo envolve o Conhecimento das profissões, auxiliando o indivíduo a dispor de um mínimo de conhecimento sobre as profissões existentes. Essas informações facilitam a identificação das profissões que mais correspondem aos critérios pessoais identificados na etapa de autoconhecimento. Finalmente o profissional trabalha com a Tomada de decisão, auxiliando, por meios das etapas anteriores, a restringir as opções selecionas e a favorecer uma escolha.

O programa proposto pode também utilizar testes psicológicos e sua proposta esta fundamentada na Teoria Comportamental e segue os objetivos expostos acima para direcionar a escolha do indivíduo.
“Quando minha escolha é consciente, nenhuma repercussão me assusta. Quando não é, qualquer comentário me balança” (José Eustáquio).